Lifting das Coxas

O lifting das coxas é uma cirurgia com indicações muito específicas, para retirar pele em excesso das coxas, habitualmente na face interna das coxas, normalmente consequente a grandes processos de emagrecimento ou mais raramente, após grande lipoaspiração desta região. É cada vez menos realizada por causa do tipo de cicatrizes que deixa e pelo pós-operatório limitativo e desconfortável por um período longo.

A saúde e o bem-estar também podem ser melhorados após o Lifting das coxas, pois ela elimina o atrito entre as coxas, que costuma causar a foliculite (inflamação dos pêlos), dificultar a caminhada, principalmente no calor, e até mesmo produzir odor desagradável. Com a retirada da pele em excesso, o atrito diminui e acabam os problemas estéticos e mesmo de saúde.

O lifting das coxas consiste em uma incisão (corte) na parte da frente, na virilha, podendo continua na parte de trás, no sulco entre a nádega e a coxa. O objectivo é reposicionar a pele, retirando o excesso de tecido sem elasticidade.

Em casos específicos é possível a associação entre o lifting das coxas e a lipoaspiração (N.I.L.). De qualquer maneira, é indicado que se faça primeiro a «lipo», pois com as técnicas disponíveis hoje em dia, como a N.I.L., consegue-se numa grande percentagem de casos, uma boa retracção cutânea, evitando assim uma cirurgia com cortes.

Que cicatrizes e onde ficam?

No lifting das coxas, as cicatrizes ficam na prega da face interna da coxa, na virilha, com extensão maior ou menor para a face posterior. O seu tamanho depende da quantidade de pele retirada.

Que tipo de anestesia é utilizada no lifting das coxas?

Anestesia local com sedação, não sendo por isso necessário internamento.

O pós-operatorio é doloroso?

Geralmente o pós-operatório do lifting das coxas não é doloroso, mas é incomodativo e muito limitativo de movimentos. Se houver dores ou incómodo, cedem aos analgésicos prescritos. O período para recuperação total leva de 45 dias a 3 meses. É contra-indicada a prática de exercícios, desportos e esforços físicos nos primeiros três meses. Depois de três ou seis meses, como em qualquer outra cirurgia, a cicatrização estará concluída.