O que é a Cirurgia Vascular?

Cirurgia vascular

As varizes são veias dilatadas e tortuosas que se desenvolvem sob a superfície cutânea, dependendo da fase em que se encontram, podem ser de pequeno, médio ou de grande calibre, ou seja, podem ser varizes reticularis (vulgarmente conhecidas por derrames), varizes dérmicas e varizes tronculares (“grossas”).

Os factores de risco são múltiplos, cerca de 50% das pessoas com varizes têm família que também possuem veias varicosas, as mulheres são 2 a 3 vezes mais propensas do que homens. As múltiplas gravidezes, o uso de anticoncepcionais, a obesidade, o tipo de ocupação (por exemplo cozinheiras, engomadeiras, cabeleireiras) muito tempo em pé e em ambientes quentes, e também a vida sedentária, são igualmente factores importantes.

Existem desportos que podem agravar as varizes tais como o futebol, halterofilismo, ténis, squash, paddle e o ski. No entanto temos a caminhada e a natação com actividades que ajudam a circulação.

Em Portugal foi feito um inquérito nos centros de saúde, em 2001, sobre varizes, sinais e sintomas, e verificou-se que 51,9% da população tem varizes dos quais 73% são mulheres, ou seja 2 milhões de mulheres com mais de 30 anos têm varizes.

Considera-se que a doença venosa crónica é responsável por um milhão de dias de trabalho perdidos por ano, em 21% dos doentes as varizes obrigam à mudança do local de trabalho e até pode originar reformas antecipadas.

Com o uso do ecodoppler, um exame não invasivo e indolor, tornou-se simples e rápida a avaliação clínica das varizes.

Após termos efectuado o diagnóstico passamos à terapêutica, e aqui temos vários tipos de actuação. Temos a terapêutica médica, compressiva, a escleroterapia e a cirurgia.

A terapêutica oral (comprimidos) não tem qualquer acção profiláctica no aparecimento de varizes. Está indicado sempre que exista edema (inchaço), sensação de peso e cansaço, no síndrome pré menstrual e como profilaxia do edema nos voos de longo curso.

A terapêutica compressiva consta de dois tipos, as meias elásticas e as meias de descanso, estas podem ser até ao joelho, até raiz da coxa ou collants. As meias de descanso estão indicadas para as pessoas que não têm varizes “grossas” só quando existem derrames, enquanto que as elásticas podem ser usadas por todo o tipo de varizes variando só o grau de compressão, que vai de 1 a 4.

A escleroterapia (vulgarmente conhecida por secagem) consiste numa injecção de um medicamento nos derrames ou varizes.

Quanto à cirurgia temos o método convencional ou seja o “stripping” da veia ou a utilização das novas técnicas endovasculares (VNUS ou Laser), estas sem incisões e sem hematomas no pós-operatório.

O que é a secagem de varizes ou derrames?

Os derrames são veias muito finas com uma coloração que vai do vermelho ao arroxeado. A secagem consiste numa injecção de um medicamento nas pequenas varizes ou derrames. Provoca uma irritação da parede da veia levando ao seu desaparecimento. A secagem implica várias sessões, muito bem toleradas, práticamente sem dor e que não impede a actividade normal da paciente. Deve ser usada meia de contensão após a secagem.

Tem como contra-indicações a exposição ao sol ou no solário e não se deve fazer desporto nas primeiras 48 h após a secagem.

Normalmente aconselha-se a fazer a secagem fora dos meses de verão.